PALESTRAS - BR - José Henrique Lamensdorf - translation - tradução

Busca/Search
Go to content

Main menu:

PALESTRAS - BR

PORTUGUÊS > UM BLOG? > ARTIGOS


Como gravar palestras para legendagem


- por José Henrique Lamensdorf   


Já vi um certo tipo de desastre acontecer algumas vezes, meu objetivo aqui é ajudar a evitar. A história habitual costuma ser assim...

A empresa gasta uma fortuna, traz um palestrante do exterior que tem coisas importantes a dizer. Para que ninguém perca essa rara oportunidade, providenciam interpretação simultânea, com todo o aparato que esse trabalho exige. E para que o evento e o investimento continuem rendendo frutos, resolvem gravar em vídeo.

Costumo dizer que o que determina se uma gravação é profissional não é se o equipamento é impressionante, e nem se alguém foi pago para fazê-la, mas o resultado final que se obtém.

A alternativa mais barata para a interpretação simultânea é a interpretação consecutiva. Ela prejudica a sequência de idéias do palestrante, que precisa parar a toda hora para "ser traduzido", aborrece os espectadores bilíngues que precisam ouvir tudo duas vezes, e também os espectadores monoglotas, que passam metade do tempo ouvindo coisas que não entendem. Numa palestra, esta opção acaba causando uma impressão de coisa barata. Dependendo da importância do evento, ela pode ser vista como algo inadequado.

Observação: Não é o objetivo aqui menosprezar a interpretação consecutiva. Ela tem a sua razão de ser. Quando se trata de um depoimento pessoal, seja em juízo ou não, uma entrevista, qualquer manifestação que não seja uma apresentação preparada com antecedência, a interpretação consecutiva se mostra muito mais adequada que a interpretação simultânea, e coloca a parte bilíngue da platéia na posição de "controle de qualidade" do trabalho de interpretação.

O equipamento e os profissionais para interpretação simultânea custam caro. Somando os custos do apresentador, do local, e eventuais complementos necessários (refeições etc.) a empresa - se tais eventos não forem o seu core business - vê seu orçamento inicial sendo rapidamente esgotado e superado. Como não dá para cortar custos, resolvem ampliar os benefícios, gravando em vídeo para posterior distribuição.

A gravação de um evento desses com qualidade de TV custaria uma verdadeira fortuna. Então o mais comum é colocarem alguém com uma camcorder ou mesmo um smartphone na platéia. O microfone geramelmente fica embutido no aparelho. É muito bom para entrevistas gravadas de perto, porém não se presta a apresentações num auditório.

Quando o vídeo fica pronto, a empresa se dá conta de que a interpretação simultânea ficou lá, naquele auditório, no passado. Então resolvem legendar o vídeo, e o mandam para um tradutor especializado, como aquele que vos escreve aqui.

Em vários casos que recebi, o som está terrível. O que se ouve é algo mais ou menos assim:
"Na fmfmmfmf temos dois aspectos muito importantes: o hmhshfm e o bhmfmnhm." Tudo isso em meio a ruídos de gente andando, cadeiras sendo arrastadas, gente limpando a garganta ou tossindo, conversas paralelas perto do microfone, e até algum vazamento de som da cabine de interpretação simultânea.

Resumindo: missão impossível.

Um outro aspecto é a especialização do tradutor. O intérprete simultâneo, por não ter tempo para pensar muito ao fazer o seu trabalho, na grande maioria destes casos:

  • será um profissional especializado no assunto

  • terá recebido antecipadamente um roteiro da apresentação para pesquisar a terminologia

  • terá recebido treinamento a respeito da apresentação

  • terá recebido glossários sobre o assunto.


A tradução é uma profissão que se caracteriza pela especialização sob vários aspectos independentes e excludentes.

  • O primeiro, evidentemente, é o par de idiomas. Não adianta trazer um tradutor ou intérprete de francês para uma apresentação que será feita em inglês.


  • O segundo é o tipo de trabalho: tradução (palavra escrita), interpretação (palavra falada), ou vídeo (da palavra falada para a escrita). Há profissionais que trabalham em apenas um, em dois, ou em todos estes tipos de serviço


  • O terceiro é a área de especialização, em termos de assunto, por exemplo, telecomunicações, medicina, finanças, administração etc. É claro que há temas gerais com que qualquer tradutor é capaz de lidar, contudo isso é raro no tipo de apresentações que estamos tratando aqui.


Estes aspectos e alternativas são apenas uma amostra do todo, porém será muito mais difícil achar um tradutor que atenda simultaneamente os requisitos de cada um dos três critérios.


Como se resolve este problema para a tradução e legendagem do vídeo?

O primeiro aspecto pode ser prontamente descartado, visto que geralmente não há como mudar o idioma do palestrante nem do público, e certamente também não o par de idiomas do tradutor ou do intérprete.

O segundo pode ser resolvido providenciando uma gravação de áudio clara para o tradutor. Se o equipamento de vídeo tiver entrada de áudio auxiliar (LINE IN), pode-se puxar o sinal de áudio diretamente da aparelhagem de som local, que alimenta a cabine de interpretação simultânea. Assim se obterá o som do microfone do palestrante livre do ruído ambiente. Caso contrário, pode-se fazer a gravação separada do áudio, seja com sinal do sistema de som local ou do equipamento na cabine de tradução.

E o terceiro pode ser solucionado dando ao tradutor do vídeo - não necessariamente especializado no tema da apresentação - acesso ao resultado de todo o preparo que foi dado ao intérprete simultâneo. Como se faz isso? Gravando em estéreo (2 canais), seja no vídeo ou no áudio complementar, o som do apresentador num canal, e o som do intérprete no outro. Ambos os sinais estarão disponíveis no equipamento da cabine de interpretação, e dois cabos de custo ínfimo e reaproveitáveis farão essa ligação.

Se o equipamento de gravação de vídeo não comportar uma entrada de áudio auxiliar, é possível ressincronizar a gravação de áudio paralela, obtendo um vídeo com qualidade de som muito superior à que seria obtida com som direto (o microfone montado na câmara).

O intérprete simultâneo, ao saber que seu trabalho será gravado para aproveitamento posterior, irá querer cobrar um adicional pelos seus direitos. Se essa gravação for colocada no vídeo a ser distribuído, é perfeitamente justo, e caberia uma negociação. O áudio da interpretação original certamente não será usado no vídeo.

Tomando estas providências, será possível obter um vídeo, seja para apresentação online na Internet ou em DVD, com qualidade de som, tradução e legendagem muito superiores.

Não faço interpretação simultânea nem gravação em vídeo. Meus serviços compreendem a tradução para legendagem ente inglês e português, a legendagem, e a autoração de DVDs.

Espero que estes esclarecimentos ajudem a não me mandarem mais "missões impossíveis". Se ainda tiver dúvidas a respeito, ou precisar de orientações sobre como fazer o que expliquei acima, entre em contato comigo, clicando no botão de E-mail à esquerda.



© José Henrique Lamensdorf - Reprodução autorizada, desde que dando crédito ao autor e indicando o endereço da publicação original.

Clique aqui para ver a lista de artigos no site.

 
Back to content | Back to main menu